Nós, desenvolvedores, que estamos cercados por conteúdo sobre tecnologia todos os dias vemos diversas boas dicas de como nós tornarmos melhoras desenvolvedores, boas práticas e como conquistar a atenção da empresa dos sonhos. Não é mesmo?

O que ninguém fala (pelo menos eu nunca vi) é como não ser um bom desenvolvedor front-end, dicas do que te torna ruim nesta profissão e tantas outras coisas.

1. Não use GIT

Obviamente não usar GIT deveria estar aqui na primeira dica, por que em 2017, com tantas ferramentas cloud (leia-se Dropbox, Google Drive e One Drive), nós deveríamos utilizar um linha de comando rápida e leve que versiona nosso código com apenas três comandos? Ao invés de criar pacotes zipados e fazer o backup disso tudo na internet…

Não aceite quando seu colega disser para você clonar o repositório, onde já se viu ter que ficar baixando as coisas em CDNs de alta velocidade sendo que podemos armazenar tudo em simples pendrives?

E mais do que isso, nada de rodar *git pull origin <branch> antes de editar o projeto, faça o seu trabalho e o próximo que se vire com os conflitos.

2. Acessibilidade? O que é isso!?

Ter um site acessível a todos? Isso é coisa de comunista!

Não se preocupar com os cegos, surdos e deficientes motores é comum, ninguém faz isso para que gastar algumas horas antes de iniciar o projeto pensando em acessibilidade? E se for necessário mesmo, vemos isso depois, não é prioridade agora…

Vamos fazendo testes e se alguém reclamar, implementamos.

3. Fique no seu mundinho

Participar de eventos e ver gente que se acha o rockstar palestrando por quase/mais de uma hora te enche o saco, você está no caminho certo.

Conversar com outros devs, aprender nas conversas e socializar tomando uma cerveja realmente não deve ser legal. Até porque, na maioria das vezes, as pessoas falam muito e ficar no silêncio do quarto escuro com o shell aberto é bem melhor.

4. Não fale sobre o que você sabe

O que mais assusta você é que alguém faça você ensinar ela a fazer alguma coisa, certo? Realmente é complicado ter tantos anos de estudo e, de graça, ensinar as pessoas a saberem sobre certa tecnologia também.

Até porque o conhecimento foi feito para ser guardado e não queremos correr o risco de perder nosso emprego para alguém que pode vir a saber mais do que nós, certo? Pois é, é perigoso…

5. Não aceite novas tecnologias

Todo dia um novo framework JavaScript, por que esses caras não fazem outra coisa, não é?

Não aceitar novidades do mercado faz você estar muito bem posicionado nessa lista, até porque a linguagem não deve evoluir, ela tem que servir apenas para resolver o seu problema e deixar você na sua zona de conforto do conhecimento.

6. Ser intolerante é engraçado

Programação é coisa de homem, né? Como é que pode uma mulher sair do lugar dela e vir querer roubar nossos trabalhos. Pensar assim te dá uns belos pontos nesse lista. É isso aí, você está chegando ao topo!

Pessoas que não sabem tanto quanto você são inferiores, mas talvez elas consigam tomar seu emprego. Por isso é importante ter cuidado, né?

Você acha que a minoria quer muitos privilégios e tratamentos especiais? Opa, chefe! Boa, ganhou uns pontos.

7. Reinvente a roda sempre, custe o que custar!

Soluções criativas já foram inventadas, mas já que eu sei para que vou colocar o script de outra pessoa no meu código se eu posso fazer isso?

Esse meu projeto não é open source, mas vou me basear em outros para fazer um e utilizar só em projetos próprios.

8. Nunca programe de graça

Programar de graça é um absurdo, não é mesmo? Tantos anos investindo na minha carreira com estudos e noites mal dormidas para programar algo open source?

Tudo bem que eu utilizo Linux, faço back-end com PHP e uso Atom que são programas open source, mas eu não programo de graça!

E mesmo que meu projeto open source possa me trazer visibilidade no mercado e entrar numa grande empresa, open source é só para otários.

9. Foque nos frameworks, saber o básico é para os fracos

Seguindo a dica, muito bem observada, do amigo Daniel Tapias, o negócio hoje em dia para estar bem rankeado como um front-end ruim é manjar de todos os novos frameworks mas não conseguir resolver um problema simples de CSS, até porque saber o básico é para os fracos.

Como não é programação, CSS é coisa para quem é júnior, um bom front-end precisa saber de React com flux, redux, mastrux…

E está constatado: seguindo duas ou três itens dessa lista você já será considerado um developer ruim, por isso persista e não desista!

São bastantes os pontos que tornam você um desenvolvedor front-end ruim. E essa lista pode, e irá, aumentar!

Inspirado no post 15 Dicas Infalíveis para Destruir Implacavelmente sua Carreira do Daniel Orlean, usarei a frase:

O seu “Insucesso” só depende de você!!!

That’s all folks!